RYODORAKU

Aliando as técnicas orientais às técnicas ocidentais, surge, num patamar mais científico e objetivo, a acupuntura Ryodoraku

Este é um estilo de acupuntura japonesa cujo objetivo principal é a regulação do sistema nervoso autónomo e cujo método de tratamento é baseado em pontos electropermeáveis na superfície do corpo.

 

Na generalidade, a acupuntura japonesa tem sido considerada semelhante à acupuntura chinesa. No entanto, a acupuntura no Japão, apesar de ter sido influenciada pelas teorias da Medicina Tradicional Chinesa há mais de 1500 anos, tem seguido os seus próprios caminhos, mantendo as características da cultura japonesa, de aperfeiçoamento constante, de grande criatividade e de objetividade prática.

Origens do Ryodoraku

Dr. Yoshio Nakatani

Professor de Medicina da Universidade de Quioto, no Japão, em 1950, Dr. Yoshio Nakatani,  foi quem descobriu e formulou a teoria e a terapia Ryodoraku. Medindo a eletrocondutividade da pele através do microamperímetro, descobriu um grande número de pontos com electrocondutividade, permitindo a entrada da corrente elétrica.

Analisando tais pontos na pele de várias pessoas, encontrou vários conjuntos de pontos com valores próximos entre si. Em cada conjunto, interligando os pontos, obteve uma linha peculiar. O mais interessante é que tais linhas, mesmo desenhadas em pessoas diferentes, coincidiam nos trajetos e nas posições dos pontos.

Com bases nestas experiências, o dr. Yoshio Nakatani desenvolveu a teoria na qual estabelece uma correspondência entre os pontos e os meridianos de acupuntura, passando a denominá-los de ryodoten (pontos electropermeáveis) e de Ryodoraku (alinhamento sistemático dos pontos electropermeáveis).

Continuando a pesquisa, Nakatani estudou vários casos de doenças, encontrando um Ryodoraku correspondente a cada órgão doente. Assim, foram identificadas 12 linhas Ryodoraku (divididas entre os canais das mãos – membros superiores – e os dos pés – membros inferiores).

Verificou-se ainda que, através da condutividade electrodérmica, é possível observar a função dos nervos simpáticos localizados à superfície do corpo e descortinar relacionamentos dos mesmos com órgãos e vísceras em particular. Estudando um grande número de pessoas saudáveis, Nakatani chegou à conclusão de que as leituras dos pontos electrocondutores de cada indivíduo variavam pouco em relação à média aritmética de todos os pontos do seu corpo.

Nas pessoas com problemas de saúde, os pontos de alguns meridianos apresentavam leituras muito elevadas e, outros, leituras muito baixas. Estudando os sintomas de cada órgão, concluiu que as leituras elevadas estão ligadas ao sistema simpático (Yang), e as leituras baixas, ao sistema parassimpático (Yin). Deste modo, as pessoas ficam desequilibradas ou doentes devido aos distúrbios do Sistema Nervoso Autónomo.

Pin It on Pinterest

Share This