MAKKO-HO – A ginástica da autocura e longevidade

Definição de Makkoho

Makkoho é uma palavra japonesa.
– Makko – significa em frente
– Ho – Método; Regra.
Podendo, assim, ser traduzido em sentido físico e psicológico “Para viver a sua vida numa linha reta”

Origem do Makko-Ho

Os exercícios Makko Ho foram desenvolvidos por Wataru Nagai (1869-1963), e mais tarde mais popularizados pelo Mestre de Shiatsu e DO-IN Shizuto Mazunaga, com o objectivo de promover a saúde e bem-estar, permitindo que o praticante equilibre os meridianos principais, através de alongamentos específicos desenvolvidos para melhorar o fluxo de energia (Ki) nos meridianos, bem como alongamento e fortalecimento dos músculos.

O seu autor, Wataru Nagai, desenvolveu estes exercícios, quando com a idade de 42 anos sofreu um AVC que lhe afectou o lado esquerdo e o deixou paralisado.

Os seus 4 exercícios (actualmente foram complementados com mais dois, já desenvolvidos pelo Mestre Masunaga, para estímulo dos meridianos), são, portanto, exercícios para estimular o Hara*. Quando são efectuados deverá expirar, caso contrário o exercício torna-se muito difícil. Esta expiração ao mesmo tempo que nos curvamos para a frente, em japonês, é chamada de “Harakokyu” e ajuda a obter a energia vital e a curar todas as doenças.

*HARA: termo usado nas tradições orientais japonesas, corresponde ao Tan Tiem dos chineses (Chuen, 2000), ao segundo chakra ou Swaddhisthana dos hindus, ou ainda, simplesmente, ao interior do abdómen, onde todos nós fomos gerados e nos desenvolvemos no princípio da vida. É considerado o centro original da vida, o centro de apoio gravitacional ou de assentamento energético do ser humano quando este está em pé. É seu centro de força, pois concentra energia de vida, tanto que, nas artes marciais o praticante aprende a extrair do Hara, sustentação e força para não se deixar derrubar pelo seu adversário. É no Hara que as forças do céu e da terra se encontram, assim, é no contato com esse centro vital situado uns 3 ou 4 dedos abaixo do umbigo, que o indivíduo se conecta com o universo e com ele permanece integrado (Boadella, 1992). 

 

Modo de efectuar os exercícios

Tal como acontece com exercícios de Qigong, a ênfase não é tanto a nível físico, mas sim o movimento da energia (Ki). Portanto, é vital que se concentre na respiração e que esteja ciente das mudanças em curso dentro de si durante cada sequência, o que inclui a parte física, emocional e consciência (corpo, mente, espírito).

O mais importante é aprender a respirar correctamente, para permitir que o seu corpo beneficie da energia positiva (Ki) que obtém em cada inspiração e garantir o benefício para o corpo através da eliminação de energia negativa quando expira.

Ao iniciar o dia com estes exercícios vai sentir-se revigorado energeticamente para um novo dia.

Faça os exercícios sem sentir dor e roupa confortável.

Pin It on Pinterest

Share This