MOXABUSTÃO

A palavra “moxa” vem do Japonês mogusa. Yomogi é outra palavra que designa esta técnica no Japão.

Moxa Chinetseku

Aplicação de moxa de uma forma muito suave

Moxabustão também conhecida como moxa, consiste no queimar de uma erva (artemísia) junto aos pontos energéticos localizados nos meridianos da acupunctura. A técnica é parecida com  a que é executada em acupuntura, só que em vez usar agulhas, os pontos são activados com o calor da combustão da erva Artemisia Princeps Pampan e Artemisia vulgaris.

Através da moxabustão podemos tratar e prevenir doenças através da aplicação de calor em pontos e/ou em certas regiões do corpo humano.

No Japão, é bastante conhecida a história do Sr. Ichizaimon Morimura. Foi um grande empresário.

Nasceu extremamente fraco, com as mãos e pés congelados e roxos. A parteiria pensou que era um bébé que tinha nascido morto, mas não. O recém nascido tinha o coração muito fraco, a ponto de não se sentir as pulsações. A familia já estava desesperada. De imediato começaram a aplicar moxa todos os dias, durante uma semana, no ponto Kan Guen. Nos três primeiros dias havia passado a fase de perigo e assim conseguiu sobreviver.


Neste segundo caso, um recém-nascido não conseguia mamar no peito da mãe, e não conseguia chorar, isto durante três dias. Estava à beira da morte. Só que, felizmente foi aplicado moxa num ponto que se denomina Ti Ri Ke, fazendo com que o recém-nascido começasse logo a reagir.

Moxa Okyu

Aplicação de moxa sobre a pele em pontos dolorosos

Bastão de Moxa

Aplicação de moxa de uma forma muito suave

  • Processos inflamatórios
  • Problemas de rins
  • Regular a menstruação
  • Impotência
  • Obstipação
  • Insónia
  • Dor de cabeça
  • Alergia
  • Bronquite Asmática
  • Anemia
  • Asma
  • Sinusite
  • Tosse
  • Diarreia
  • Vómito
  • Problemas de estômago
  • Gripe
  • Lombalgia
  • Nas fraquezas crónicas onde exista humidade e frio envolvidos
  • Na velhice para minimizar os desconfortos e proporcionar uma longevidade saudável
  • Onde o uso de agulhas não for possível
  • Desordens ginecológicas

Pin It on Pinterest

Share This